Mude a sua vida com o método Kon Marie

É evidente que o que está fora é reflexo do que está dentro e vice-versa, então porque não fazer uma revolução na sua casa e consequentemente no seu mundo interior?

Meu namorado um dia me ensinou a filosofia do “Não tenho tudo o que amo, mas amo tudo o que tenho.” pois eu vivia me queixando que queria isso ou aquilo e não podia ter. Essa frase foi crescendo aos poucos dentro de mim, até que quando apliquei o método Kon Marie eu assimilei de fato a ideia. É uma ideia de gratidão muito forte e transformadora.

Venho hoje falar sobre o método Kon Marie, criado pela japonesa Marie Kondo, especializada em organização e referência mundial no assunto. Ela dá cursos nos quais vai na casa dos seus clientes ajudá-los a por em prática o método. É fascinada por arrumação desde os cinco anos de idade quando sua tarefa na escola era organizar as prateleiras (no Japão cada aluno tem uma tarefa desde muito cedo). O método criado por Marie faz com que a pessoa que o aplica nunca mais precise organizar sua casa novamente, parece loucura mas é verdade. A publicação de hoje é um breve resumo do livro “Marie Kondo: A Mágica da Arrumação”, o que não substitui a leitura do livro. No livro você vai encontrar mais dicas e detalhes sobre como aplicar o método.

livroa-magica-da-arrumacao

Depoimentos que mais me inspiraram:

  • “O curso me fez enxergar as coisas de que eu precisava e que não precisava. Então descobri que não precisava do meu marido e me divorciei.”
  • “Desde que organizei meu apartamento consegui aumentar consideravelmente as vendas na minha loja.”
  • “Finalmente consegui emagrecer três quilos.”

Sobre o Método:

O primeiro passo é escrever um breve texto sobre como você gostaria que o seu dia-a-dia fosse, com o máximo de detalhes possível. Vou dar o meu como exemplo: Acordar me sentindo descansada e bem disposta, fazer a cama, escolher uma roupa que me faça sentir confiante, tomar um banho revigorante, escrever no blog, fazer as tarefas burocráticas que só podem ser feitas em horário comercial, cozinhar o almoço com temperos e alimentos vegetarianos que eu amo, jogar os resíduos na composteira, ir para a faculdade e assim que chegar em casa encontrá-la super organizada, fazer 30 minutos de Yoga, olhar as redes sociais, fazer as tarefas que restam a serem feitas como trabalhos da faculdade ou produções artísticas diversas, tomar um banho relaxante, tomar um chá, assistir um episódio de alguma série que eu esteja acompanhando com o meu namorado e dormir um sono profundo e ter bons sonhos.

O segundo passo é buscar o motivo que te levou a escolher cada item do seu dia-a-dia ideal. Por exemplo: Por que fazer Yoga? Para ganhar uma boa saúde física, conhecimento e controle do corpo e da mente e também para emagrecer. Por quê? Para ficar bonita e mais bem disposta. Por quê? Para ser feliz. Se todos os aspectos da sua vida ideal chegarem no motivo final “ser feliz”, então o seu planejamento está adequado e você está pronto para começar a aplicar o método.

Banner Marie Kondo

tumblr_m1alsuzfOX1qmsuyxo1_500

1. Desapego:

Você deve se desfazer de tudo aquilo que não te traz felicidade. Como fazer isso? Você tem que pegar cada objeto que possui, com as mãos, deve tocá-lo para que você possa entrar em contato com ele energeticamente e sentir se ele te traz felicidade ou não. Caso não traga, ou caso você tenha dúvidas deve passá-lo pra frente.

Segundo Marie Condo, quando algo realmente te traz felicidade você não tem dúvidas. As dúvidas surgem por um dos motivos seguintes: apego ao passado ou medo do futuro. Pense bem, se você já não usa uma peça de vestimenta há anos, sabe que não vai usar, porque guardá-la? Se pergunte se o que te prende a ela é medo do futuro ou apego ao passado. Se for por ter vivido bons momentos com ela, agradeça a peça por ela ter sido importante e liberte-a, deixe-a fazer outra pessoa feliz. Se o motivo for medo do futuro, medo de poder precisar dela um dia, ou se arrepender do desapego, pense em quanto tempo você não já se deu para usar aquela peça. Você no fundo sabe que não vai mais usá-la, você pode vendê-la e comprar uma que te agrade mais.

No início é difícil mas depois a sua intuição vai ficando mais treinada e você vai sabendo discernir melhor o que te traz felicidade ou não. Por isso a Marie criou uma ordem específica pra se seguir no processo. Do mais fácil de se desapegar pro mais difícil, presentes de entes queridos por exemplo são muito difíceis. Mas confiem, vocês não vão se arrepender, e suas vidas vão mudar!

Você deve entender que acumular um monte de coisas do passado sem nem saber quais são as coisas que você tem, gera peso na vida e apego ao passado, nos impedindo de viver o aqui e agora e seguir em frente evoluindo a cada dia. Quando você mantém somente o que te traz alegria, você impede que qualquer coisa atrapalhe o seu momento presente e você passa a vivenciar as suas experiências mais inteiro, você se sente até mais preenchido internamente, mais vivo e mais presente em cada momento.

Mcsrh6nA0iM1HrFFY7FQOg-enormeOnde posso vender meus desapegos?

Para vender seus desapegos eu indico o site Enjoei, que eu uso e recomendo tanto para comprar como para  vender. O mais bacana de comprar e vender produtos usados, é que além de pagar um valor bem abaixo do real valor do produto, você ainda estará deixando de incentivar a produção de novas peças, e contribuindo para a movimentação daquelas que já foram produzidas e já existem no nosso ambiente, e evitando que elas acabem no lixo.

15132230

Por onde começar?

  1. Roupas (blusas, partes de baixo, de pendurar, meias, roupas íntimas, acessórios, para ocasiões específicas como bikinis e uniformes e sapatos, nessa ordem);
  2. Livros;
  3. Documentos e papelada;
  4. Itens variados (CDs e DVDs, cosméticos, maquiagem, acessórios, documentos, equipamentos eletrônicos, utilidades da casa, utensílios de cozinha, comida e outros, nessa ordem), itens relacionados a um hobby devem ser separados em uma categoria à parte;
  5. Itens de valor sentimental como presentes dados por pessoas queridas, cartas e fotos (fotos por último).

Outra observação importante, é que assim que você escolhe a categoria em que vai aplicar o método, você deve reunir todas as peças que se enquadrem nela. Por exemplo, se você aplicar o método na categoria: blusas, deve reunir todas as blusas (as que estão na máquina de lavar, no varal ou no cesto de roupa suja). Você precisa vasculhar a casa inteira em busca de todas elas e “avaliar” se te trazem felicidade ou não de uma vez só, caso uma blusa seja encontrada depois da “avaliação”, deverá ser descartada. Outra coisa que ela ressalta é que se a pessoa tentar adaptar o método para que ele fique mais fácil ou mais do seu jeito, ele não funcionará.

Dinheiro espalhado pela casa:

shutterstock_77614246

Segundo Marie Kondo, deixar moedas em caixinhas ou em cestas ou até mesmo jogadas por aí geram muita desorganização e não é bom. Dinheiro é dentro da carteira. Nada de cofrinhos se você não tiver um objetivo claro para que guardar o dinheiro. Tenha um cofrinho apenas no caso de precisar guardar dinheiro para x coisa em específico. Guardar por guardar não é bom, ao menos que seja feito numa poupança e não dentro de casa.

Sobre presentes de pessoas queridas:

wpid-artur721

Uma das coisas mais difíceis de se desapegar são os objetos ganhados de presente por pessoas queridas. Segundo Marie a função do presente é expressar carinho, e a sua função é cumprida no momento em que você o recebe. Presentes muitas vezes não fazem o seu gosto, então receba com gratidão, saiba que tem te deu gosta muito de você e liberte-o dando para outra pessoa que vá fazer melhor uso.

Coisas que devem ser descartadas sem pensar duas vezes:

  • Aparelhos eletrônicos quebrados;
  • Caixas e embalagens diversas (a não ser que você as guarde para realmente usar num futuro breve, como eu por exemplo guardo algumas para enviar as minhas vendas no enjoei, mas só guardo as que sei que vou usar);
  • Amostras grátis;
  • Cosméticos, remédios e comidas fora do prazo de validade;
  • Manuais de instruções – Pense em quando foi a última vez que você leu um manual, eles são complexos e confusos. Caso você precise, hoje em dia você encontra qualquer informação na internet;
  • Fios misteriosos – Se você guarda fios que não sabe a que aparelho pertence, e não usa há anos, isso quer dizer que eles não tem serventia. Guarde apenas os fios que usa. Caso futuramente precise de algum compre um novo. Não se esqueça de pesquisar qual a maneira mais adequada para descarte de lixo eletrônico na sua região.
  • Botões reserva de roupas – Pare e pense quantas vezes você já usou aqueles botões guardados quando algum caiu da sua roupa. A maioria das pessoas deixa de usar a roupa quando um botão cai, ou continua usando mesmo sem ele. Caso você goste muito da roupa você pode comprar botões novos por uma pechincha, sem ter que acumulá-los. Na hora que precisa muitas vezes você nem consegue encontrar aquele botão específico, então não vale a pena guardar. No caso de casacos caros, o botão costuma vir costurado do lado de dentro da peça, o que facilita quando você precisar dele.

2. Guardando cada coisa em seu lugar:

Primeiro descarte e somente depois de definir o que fica, guarde. É importante que as coisas sejam guardadas separadamente conforme a sua categoria, e que cada coisa tenha um lugar determinado. Você vai usar a coisa e colocá-la para descansar no mesmo lugar. Dessa forma você nunca mais vai precisar ficar procurando suas coisas, você saberá onde exatamente está tudo o que você precisa no momento em que precisa. (estou amando isso!)

As bolsas devem ser guardadas uma dentro da outra, separadas por tipo de tecido ou ocasião (dia-a-dia, mochila, mala de viagem, festa, ecobag). Outra coisa importante é esvaziar a bolsa diariamente, isso faz mais diferença do que parece. Dessa forma você não acumula nada dentro dela, e carrega sempre só o necessário. Tem muitas pessoas que guardam papeizinhos de 2 anos atrás dentro da bolsa, e a bolsa é uma verdadeira bagunça, se tornando ineficaz na hora de encontrar algo.

A finalidade da bolsa é carregar os seus pertences quando você está fora de casa, elas carregam muito peso, quando chegam em casa merecem descansar, você verá que deixá-la “descansar” vazia fará ela durar mais tempo em boas condições. Quantas pessoas quando vão trocar de bolsa não esvaziam a outra? Eu mesma já perdi coisas que quando fui ver estava numa bolsa que eu usei uma semana antes e esqueci a coisa lá dentro. Você acaba perdendo o controle de onde suas coisas estão.

Antigamente eu guardava meus bikinis todos apertados num saco, isso também não é bom pois não os deixa respirar, agora eu tenho apenas dois pares e os guardo numa gaveta só pra eles. Não preciso mais tirar todos do saco para encontrar o par e depois aperta-los todos lá dentro novamente.

Os livros devem ser guardados numa estante ou prateleira, apenas os que você usa para consulta e os que te trazem felicidade, todos no mesmo lugar. Nada de ter livro na cabeceira ou um em cada lugar diferente. Quando você quiser ler um, basta pegar, ler e guardar de volta no lugar.

Kondo_1032080c

IMG_3397

Empilhar seus pertences é outra coisa que contribui para que o seu ambiente fique bagunçado. Você deve guardar as roupas dobráveis de maneira que todas possam ser vistas na gaveta, nada de uma em cima da outra. Porque se não você puxa a de baixo e já desarruma a de cima. Além de não conseguir ver todas as blusas que tem e acaba usando mais as de cima, e ainda sufoca as de baixo. Isso vale para tudo.

As roupas que tem tecido pesado e são mais difíceis de dobrar devem ser penduradas junto com qualquer peça que “se sinta mais feliz” pendurada. No armário as peças mais pesadas devem ficar do lado esquerdo, e as mais leves do lado direito.

As meias não devem ser guardadas em nó ou em bola, assim elas ficam tensionadas, elas já carregam nosso peso por muito tempo, e devem ser guardadas com apenas uma dobra para que fiquem mais livres, no caso de meia calça você pode fazer mais dobras.

Com as fotos, devem ser todas guardadas em um ou mais álbuns que lhe agradem, e que as mantenham todas organizadas e juntas no mesmo lugar. Mantenha apenas as que te trazem alegria para que você não sinta um peso de um passado desagradável e possa viver feliz no presente.

Com documentos, guarde apenas os que são necessários como por exemplo garantias e documentos pessoais. Ao invés de colocar em pastas empilhadas como costumamos fazer, guarde-os em um organizador vertical, assim o acesso a eles quando necessário se dará de maneira mais prática e objetiva. É horrível ter que tirar uma pasta de cima da outra para abrir e perceber que o que você procura não está lá e ter que ir abrindo todas e no fim perder mais tempo com isso do que seria necessário, e ainda acabar fazendo uma bagunça. Isso sem contar quando você precisa pegar a última pasta da pilha e acaba derrubando todas as outras.

del-felicidade

Considerações finais:

A ideia é quando você terminar o método conseguir viver a vida que sempre sonhou, rodeada apenas de objetos que você ama. Você vai notar que vai passar até a cuidar melhor das suas coisas e elas vão durar mais tempo. E notará também que o processo vai estender os seus resultados para todos os setores da sua vida. Você vai se ver rodeado apenas de pessoas que você ama e não vai mais desperdiçar tempo e dinheiro com coisas que você nem gosta tanto assim.

Depois de passar por tudo isso você não vai mais conseguir adquirir novas coisas sem motivo, vai notar que só vai comprar algo se for necessário ou se você amar o produto. Você não precisa ter muitas coisas para ser feliz. Tendo poucas coisas você consegue mantê-las mais organizadas e consequentemente a energia da sua casa e da sua vida flui melhor. Nada de estagnação nos armários e na vida. Vamos abrir espaço para as novas oportunidades!

Depois do método Kon Marie passar pela sua vida, você vai passar a saber tudo o que é seu. Quantas pessoas não encontram coisas no meio de uma arrumação que nem sabiam que tinham? Isso não é nada saudável. Isso gera ansiedade e insegurança.

Outra dica da Marie é que depois do método ter sido aplicado, temos que de tempos em tempos abrir os armários e gavetas para as roupas respirarem, e passar a mão nas roupas mentalizando para aquelas que não usamos há muito tempo, que ainda vamos as usar e que elas nos traz muita felicidade.

Obs: O método pode ser aplicado também ao seu ambiente de trabalho e no seu computador.

Meu depoimento:

No início tive medo de me jogar e me ver sem roupa nenhuma pra usar. Notei que pouquíssimas roupas minhas me traziam felicidade. Todas eram muito antigas e eu não me identificava mais com a maioria delas. Mas não tenha medo, ele estraga tudo. Hoje tenho pouquíssimas roupas mas me sinto muito mais feliz quando abro o armário e posso pegar qualquer peça para vestir e me sentir linda e confortável em qualquer ocasião. Era extremamente desgastante e me gerava muita ansiedade quando eu abria o guarda-roupas e ele estava abarrotado, e mesmo assim eu tinha a sensação de não ter roupa alguma para usar, eu demorava muito tempo para montar um look que me agradasse e muitas vezes me atrasava para compromissos por conta disso. Hoje em dia me sinto menos ansiosa e sinto que ganhei mobilidade também.

 

8 comentários em “Mude a sua vida com o método Kon Marie

  1. Ana Jesus

    Boa noite,

    Gosto muito do seu blog !!

    Adorei especialmente este post. Eu própria estou passando por isto. Roupa é daquilas categorias que vou deixar para ultimo pois tal como tu. Tenho medo de ficar com pouca roupa XD. Estou a livrar-me primeiro das imensas coisas que tenho acumuladas dos meus anos de estudos e depois vou passar para a roupa 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ana

    Oi! Parabéns pelo seu blog! Nosso mundo precisa mesmo de pessoas com atitude e pensamento crítico. 😉

    Concordo com a maioria, mas algumas ideias dela não são mto ecológicas…

    A questão que falaste dos cabos, por exemplo: se não se sabe pra que algum deles serve, primeiro é preciso se informar (internet, amigos etc), porque se a pessoa descarta e precisa daquilo novamente, vai ter que comprar um novo, o não é nada legal! Há itens cuja frequência de utilização é baixa e que não é possível alugar, emprestar etc, ou seja: se vc descarta, vai precisar de um novo cada vez que ele for necessário. É diferente do que ter um terno ou vestido que é usado “de vez em nunca”, e que se vc doar/vender, quando necessitar pode alugar. Afinal, na fabricação de cada coisinha, nem que seja um botão (como no outro exemplo), há mão-de-obra, energia e matéria-prima envolvida, e mesmo que o pobre botão seja levado pra reciclagem, há desperdício. Hehe, deveriam criar um Banco de Botões, assim como criam de tecidos, né?

    Depois que comecei a realmente organizar e me desapegar das coisas, as únicas coisas que ainda “entulho” numa gaveta são pedaços de embalagens (como cartolinas, papéis-presentes, fitas etc). Assim, sempre que preciso fazer um cartão pra alguém, ou se tenho alguma ideia de upcycling, eu tenho material sem ter que comprar. Ok, alguns deles ficaram guardados anos até que fosse usados, mas valeu a pena sim! Esse exemplo em particular serve pra mim, mas acho que todo mundo tem alguma coisa que vale a pena guardar, justamente pra tentar ser mais ecológico. É como teu exemplo das caixas, que usas pra enviar as coisas que vendes pelo Enjoei (hehe, tb faço a mesma coisa).

    Abraços, e mais uma vez parabéns pela divulgação!

    Curtir

    1. Priscila V. Gonçalves

      Obrigada, Ana! Fico feliz que você tenha gostado. Sobre o descarte, eu não acho que deva ser descartado, segundo a Marie Kondo você deve se livrar do que não ama e não vai usar seja da forma que for. Como a temática do meu blog é a sustentabilidade eu dei a ideia de doar ou vender no enjoei, pois é o que eu faço e indico.
      Um grande beijo!

      Curtir

      1. Ana

        Sim, por isso que falei que concordo com a maior parte. Mas, pelos meus exemplos, estava indicando partes como: “Caso você goste muito da roupa você pode comprar botões novos por uma pechincha, sem ter que acumulá-los.”, ou “Guarde apenas os fios que usa. Caso futuramente precise de algum compre um novo.” etc
        Mesmo no caso de itens que podem ser vendidos ou doados, isso não é legal, mas no caso de fios de eletrônicos e botões, que as pessoas simplesmente descartam, é pior ainda. Não é porque é barato recomprar, que devemos descartar o que temos.
        Beijos! 😉

        Curtir

      2. Priscila V. Gonçalves

        Então, essa coisa de se livrar de fios e botões é porque você nunca vai os usar, eles ficam apenas bloqueando a energia da pessoa. E não vejo problema em comprar um botão solto pra costurar na roupa se um botão soltar.

        A ideia de não ser um acumulador, é exatamente o contrário, não devemos ter o que não vamos usar ou o que não amamos. Para sabermos exatamente o que temos, darmos valor, sabermos onde cada coisa está, e não gerarmos bagunça e ansiedade com consequência.

        Mas tudo bem você não concordar. Cada um pensa de um jeito.

        Eu gostei muito do livro da Marie Kondo porque realmente funcionou pra mim, mudou a minha vida. Eu senti um desbloqueio muito grande. Consegui conquistar muitas coisas que queria e não conseguia, virei vegana, estou emagrecendo cada dia mais, e tudo que anotei o dia a dia dos sonhos, que a Marie sugere de escrevermos para depois alcançarmos, eu alcancei. Então desejo isso fortemente para todas as pessoas. Porque tem muita gente por aí deixando a vida passar como areia que escorre por entre os dedos e é essas pessoas que eu quis ajudar com esse post.

        Se descartar botões te incomoda, você pode dá-los a uma costureira, e nunca mais comprar roupas novas, apenas em brechó e no Enjoei, assim você nem vai ganhar botões extras pra deixar mofando no fundo de uma gaveta qualquer.

        O importante para alcançar a energia fluida nos seus pertences é livrar-se, você pode fazer uma arte e dar de presente para alguém, ou usar na decoração da sua casa, pregar vários botões em uma blusa só personalizando-a, são muitas possibilidades.

        Curtir

      3. Ana

        Eu entendi a ideia, e ela realmente é brilhante. Mas não é por isso que deve ser seguida à risca. A maior parte das pessoas não procura alternativas ecológicas pro descarte dessas pequenas coisas que, no entanto, quando somadas, dão mto lixo. Jogar fora um botão e afins com certeza é desperdício.
        Enfim, o que eu quis dizer é simplesmente isso: por menor que seja um objeto, se ele ainda pode exercer sua função, ele merece um destino que não seja virar lixo, e como tu mesma falaste, há mtas possibilidades.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s